05/04/2019

Cartilha da Saúde Mental é importante instrumento de prevenção a doenças ocupacionais

A Cartilha da Saúde Mental da Advocacia – o cuidado de si como inerente à preservação dos direitos dos outros, publicada pela Comissão Especial do Direito Médico e da Saúde do Conselho Federal da OAB, é importante instrumento de prevenção de doenças ocupacionais desenvolvidas pela prática da advocacia. A Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná, visando dar maior visibilidade e ampliar o acesso à cartilha, publicou o documento em seu site.

O documento também se configura em fonte de consulta sobre potenciais riscos, tratamentos e informações de redes de apoio e de ajuda a profissionais acometidos por síndromes relacionadas à função que exercem como, por exemplo, transtornos de ansiedade, de pânico e de depressão e a Síndrome de Burnout.

O excesso de trabalho, pressão rotineira e frustrações acumuladas podem afetar a saúde mental. Por isso, a busca por atendimento especializado e auxilio adequado, ao se perceber sinais de que algo está errado, está entre as recomendações sugeridas pela Cartilha.

Muito preconceito ronda a questão da saúde mental e as pessoas afetadas acabam negligenciando sua condição que, com o tempo, fica cada vez mais grave e de difícil superação. A prevenção é imprescindível para que não ocorra uma situação extrema como, por exemplo, pensamentos suicidas.

Uma ligação

O Centro de Valorização da Vida é indicado pela Cartilha da Saúde Mental da Advocacia como suporte para auxiliar os profissionais que desenvolveram síndromes e transtornos por conta da atividade que exercem. O CVV é uma associação civil sem fins lucrativos que trabalha com prevenção ao suicídio.

O CVV atende por telefone 24 horas todos os dias e possui uma equipe de voluntários treinados para oferecer apoio emocional a todas as pessoas que querem e precisam conversar. Todas as ligações para o número 188 são gratuitas e sigilosas. Em 2016, o CVV registrou uma média de um milhão de atendimentos. No seguinte, esse dobrou e em 2018 chegou a mais de 2,5 milhões de ligações em busca de ajuda pelo número 188.

A incidência de mortes por suicídio é preocupante e assustadora. De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, todos os anos, são registrados 11 mil suicídios no Brasil e um milhão em todo o mundo. A situação é tão grave, que o Ministério da Saúde considera o suicídio como problema de saúde pública e mantém uma agenda de estratégia de prevenção e recursos para programas e projetos como o CVV e redes de atenção psicossocial e qualificação profissional.

Newsletter

Cadastre-se para receber em seu email nossa newsletter.

Desenvolvido por ledz.com.br